Cuidados pós-operatórios após cirugia no joelho

 

Após a cirurgia do joelho, alguns cuidados gerais devem ser tomados. Seguem algumas orientações gerais, porém essas orientações podem ser completamente modificadas, pelo médico, dependendo de cada caso.Nenhuma dessas orientações substitui a orientação e a consulta médica.

Curativo
Os métodos modernos de curativo permitem que a incisão cirúrgica fique completamente ocluída por vários dias, prevenindo a contaminação.

Normalmente, não é necessário trocar o curativo em casa, apenas se o médico recomendar. Caso contrário o curativo pode ser trocado apenas no consultório.

Recomenda-se não molhar o curativo durante o banho. Para evitá-lo, pode-se cobrir completamente a área operada com plástico filme, o mesmo utilizado para embalar alimentos na geladeira, apenas durante o banho.

Caso o curativo tenha sangramento ou secreções, que não são comuns, o médico deve ser avisado.

Compressas com gelo
No período pós-operatório é indicado o uso de compressas com gelo. O calor geralmente não é indicado pois pode aumentar o inchaço e a inflamação.

Ao utilizar as compressas com gelo a pele deve ser protegida com um tecido ou pano fino, pois o contato direto do gelo com a pele pode causar queimaduras. Além disso, cada aplicação não deve exceder 20 minutos.

As compressas podem ser repetidas várias vezes ao dia, com intervalo mínimo de uma hora entre cada aplicação.

Cuidados após artroscopia do joelho
Após realizar um artroscopia do joelho, com exceção dos casos em que é realizada a sutura do menisco ou reparo de cartilagem, permite-se apoio imediato da perna operada, com movimentação livre, conforme a tolerância do paciente. Portanto não são necessárias muletas ou imobilização. O uso do gelo e os cuidados com curativo devem ser realizados como orientados anteriormente.

Cuidados após reconstrução do ligamento cruzado anterior
Após a cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior (LCA) o uso de muletas é indicado por três semanas. O apoio do peso na perna operada deve ser feito de forma progressiva:

Na primeira semana – apoio leve do peso, apenas encostando o pé no chão. O movimento para andar deve ser semelhante ao natural, evitando permanecer com os joelhos flexionados.

Na segunda semana – aumento do apoio, com carga parcial (cerca de metade do peso corporal), manter as muletas.

Na terceira semana – mantendo as muletas, aumentar progressivamente o apoio do peso corporal até o apoio total. Se estiver confortável, pode retirar uma muleta (manter a muleta do lado oposto ao operado) por um ou dois dias e depois retirar completamente as muletas. Nesta fase o paciente já deve apresentar uma marcha normal e sem claudicação. Caso contrário deve ser consultado o médico.

Uso de imobilizador
Atualmente existem no mercado diversos tipos de imobilizadores ou estabilizadores do joelho, que são utilizados em diferentes situações. Geralmente após a reconstrução do LCA utilizamos um imobilizador simples, apenas para garantir segurança e conforto ao paciente. O mesmo pode ser retirado em casa, para o banho e para a fisioterapia, a não ser que o médico oriente ao contrário.

O uso de imobilizadores articulados, que permitem movimento do joelho enquanto mantém a articulação estável, pode ser indicado em casos de lesões complexas, como lesões de múltiplos ligamentos, ou revisões por exemplo. Estes imobilizadores são mais caros, mas podem ser muito úteis nestas situações.

Cuidados após a prótese de joelho
Os cuidados com o curativo são os mesmos orientados anteriormente. Em caso de sangramento ou secreção o médico deve ser avisado.

Durante o primeiro mês, o paciente deve usar andador, para evitar quedas. Durante as sessões de fisioterapia serão realizados exercícios para a marcha, movimentação e curativo.

Exercícios isométricos – elevar a perna com o joelho em extensão, por dez vezes consecutivas. Repetir mais duas vezes a mesma série.

Sinais de alarme
O médico deve ser avisado imediatamente se ocorrer algum desses sinais ou sintomas:

  • Febre (medir com termômetro) acima de 37,8oC
  • Vermelhidão
  • Secreções
  • Sangramentos
  • Inchaço excessivo
  • Inchaço (edema) nas pernas

 

8 comments / Add your comment below

    1. Vc tem razão Pedro, já que a lesão do LCP é menos frequente, ela é menos comentada. A principal diferença é que na lesão do LCP ou após a cirurgia é necessário proteger o ligamento e evitar a posteriorização da perna, e portanto é recomendável o uso de órtese apropriada nas primeiras semanas (veja o post Lesão do LCP: é possível tratar sem cirurgia?), pois o mesmo tipo de órtese pode ser utilizado se for necessário operar.

    1. Deixar por 15 a 20 minutos, protegendo a pele com um pano macio para evitar queimaduras. Pode repetir várias vezes ao dia, se houver dor e inchaço no joelho.

    1. Se o curativo molhar um pouco você pode utilizar um secador de cabelos no modo frio e secá-lo devagar. Se o curativo estiver muito molhado é melhor trocá-lo ou deixar sem curativo, seguindo as orientações do seu médico. Uma dica para evitar molhá-lo é envolver a área com plástico filme (o mesmo utilizado para alimentos) na hora do banho.

  1. Boa tarde! Tenho artrose pós traumática e gostaria de saber se posso usar o imobilizador caso sinta dor ou inflamação na área? Tenho 6 pinos e uma placa Na tibia..quebrei há 9 anos

    1. Olá Ingrid, atualmente existem diversos tratamentos para a osteoartrose, inclusive pós-traumática. Não posso recomendar imobilizador ou outro tratamento sem avaliar o seu caso. Em algumas situações pode ser indicado para alívio da dor ou do desconforto.

Deixe uma resposta