Lesões no Joelho

Exercício Melhor Remédio

A atividade física e o exercício não são contra-indicados em pessoas que apresentam lesões ortopédicas ou problemas no joelho ou em outras articulações. Ao contrário: muitos problemas no joelho, coluna, quadris, entre outros são causados por falta de atividade física e melhoram muito ou são completamente resolvidos com atividade física.

Dor no joelho
Por exemplo, a dor na região anterior do joelho, conhecida como síndrome fêmuro patelar e também relacionada a condromalácia, está muito relacionada a fraqueza muscular do músculo quadríceps da coxa e também glúteos, e também à pouca flexibilidade e falta de alongamento dos músculos posteriores da coxa. Nestes casos, exercícios focados sempre devem ser indicados como parte do tratamento e muitas vezes resolvem o problema.

Porém, exercícios inadequados ou em excesso, feitos de maneira mal orientada, podem sobrecarregar as articulações, piorando o problema. Além disso, em alguns casos a dor não permite iniciar o programa de exercícios, e algum outro tipo de tratamento é necessário inicialmente. Nestes casos um especialista deve ser consultado.

Instabilidade do joelho
Pacientes com instabilidade do joelho podem e devem realizar atividades físicas. As mais indicadas são atividades de fortalecimento muscular, que melhoram os sintomas de instabilidade. Porém sabemos que a instabilidade do joelho pode dificultar ou impedir a prática de esportes, como futebol por exemplo. Inclusive, como demonstro na minha tese de doutorado, atletas profissionais com lesão do ligamento cruzado anterior (LCA) apresentam uma perda significativa (acima de 20%) do seu condicionamento físico máximo. Portanto, o tratamento cirúrgico da lesão ligamentar deve ser considerado e um especialista deve ser consultado.

Lesões na coluna
Problemas na coluna são muito frequentes. Estima-se que 80% das pessoas terá dor na coluna pelo menos uma vez na vida. Problemas posturais levando a sobrecarga são a principal causa evitável, além do fortalecimento dos músculos abdominais e paravertebrais. Alongamentos musculares do quadril e coxa também devem ser realizados. Para as mulheres, o uso excessivo de salto alto está associado a alterações posturais que podem sobrecarregar os pés, os joelhos e a coluna.

Quando o exercício está contraindicado?
Sempre que o exercício provocar a dor, este exercício deve ser modificado ou interrompido e algum especialista deve ser consultado.

Indivíduos com inchaço nas articulações (derrame articular) não devem realizar exercícios intensos. Isto é um sinal de lesão e o derrame articular inibe a contração muscular, tornando exercícios intensos pouco eficazes ou mesmo prejudiciais. Neste caso um médico deve ser consultado.

Lesões articulares, como lesões do ligamento cruzado anterior ou menisco, por exemplo, não contraindicam completamente a atividade física. Entretanto, estas atividades devem ser muito bem orientadas, pois estas lesões podem ter consequências e causar piora irreversível do problema. Portanto, um médico especialista deve ser consultado e o tratamento cirúrgico é uma ótima solução quando bem indicado.

Obesidade: o maior inimigo do ortopedista
A obesidade é um dos principais fatores de risco para problemas ortopédicos, principalmente nas articulações. Está relacionada a desgaste nos joelhos, quadril, dores na coluna, artrose, entre outros.
Indivíduos com obesidade que conseguem perder pelo menos 10% do seu peso corporal, mesmo que não normalizem o seu peso, já apresentam melhora significativa dos sintomas de artrose, segundo vários estudos.

Por outro lado, sabe-se que indivíduos obesos apresentam piores resultados quando submetidos a tratamentos ortopédicos e cirúrgicos, como próteses de joelho, por exemplo. Inclusive, algumas cirurgias reparadoras e regenerativas, como transplantes de cartilagem, transplantes de menisco e osteotomia são contraindicadas em pessoas com obesidade, devido a maus resultados. Portanto, é importante que o paciente assuma sua responsabilidade no tratamento e o controle do peso é fundamental.