Lesões no Joelho

LCA - LIGAMENTOS

Em primeiro lugar, calma. Embora muitos casos tenham indicação de cirurgia, raramente é necessário operar com urgência. A lesão do LCA geralmente ocorre devido a uma entorse do joelho, durante uma atividade esportiva. Os sintomas mais frequentes no momento da lesão são dor, inchaço no joelho e um estalo que pode até mesmo ser audível.

Nesta fase o principal é proteger o joelho, evitando esforços, colocando compressas com gelo para diminuir o inchaço e, se possível, usar muletas ou caminhar o mínimo possível. Ë comum haver dificuldade para movimentar o joelho por causa da dor e do inchaço, mas o joelho não deve estar bloqueado ou travado.

Esta fase inflamatória logo após a lesão pode durar algumas semanas. Pode ser necessário o uso de medicamentos ou fisioterapia para recuperar os movimentos do joelho e eliminar o inchaço. Um médico especialista deve ser consultado o quanto antes, e outros exames, como a ressonância magnética, podem ser necessários.
O LCA (ligamento cruzado anterior) é um dos principais ligamentos estabilizadores do joelho. Após uma lesão (também chamada de rotura ou ruptura) completa do ligamento é sabido que não ocorre cicatrização espontânea.

O principal sintoma é a instabilidade do joelho, que causa uma sensação de falseio, falta de firmeza ou deslocamento do joelho. Este sintoma é mais evidente durante atividades esportivas, mas pode ocorrer também durante atividades diárias.

Algumas pessoas não apresentam instabilidade ou falseio, normalmente por não terem atividades físicas intensas. Em raros casos pessoas com este tipo de lesão conseguem realizar atividades esportivas sem apresentar instabilidade. Isto não quer dizer que tenham um joelho normal, pois as alterações biomecânicas do joelho decorrentes da lesão predispõem a lesões no menisco, cartilagem, e artrose a médio prazo. O tratamento cirúrgico é indicado para a correção da instabilidade do joelho. A técnica mais consagrada consiste na reconstrução do LCA utilizando um enxerto de tendão, retirado do próprio joelho do paciente. Os enxertos mais utilizados são o tendão patelar e os tendões flexores (posteriores) da coxa. Muitos estudos científicos foram realizados e concluíram não haver diferenças significativas no resultado de ambas as técnicas. Converse com seu médico sobre as melhores indicações no seu caso.